Notícias

CNC em foco: Engenharia em vez de ‘apenas’ construção é explicação para o sucesso da BN Engenharia

Data: 18/04/2017

SÃO PAULO – João Antonio Mattei, diretor geral da BN Engenharia (Bueno Netto), em entrevista exclusiva para a CNC conta sobre os modelos de gestão da empresa, aponta as suas obras recentes e apresenta a sua visão do mercado.

CNC – A BN diz que é uma empresa de engenharia, e não de construção. Qual a diferença?
João Mattei – Focamos no reestudo dos cálculos estruturais e na revisão dos projetos de instalações, automação e ar-condicionado. Atentamos ao desempenho e aos custos operacionais pós-entrega. Onde aplicável, procuramos propor a utilização de materiais alternativos, com vistas a melhorar a performance do produto entregue e à redução de custos de manutenção para os clientes. Possuímos um check-list completo de verificação dos projetos. Isso diferencia uma empresa de Engenharia, como a nossa, de uma empresa de Construção, que se atem a executar o projeto entregue sem questionar a sua funcionalidade e o seu desempenho.

CNC – E em que obras recentes a BN aplicou esses conceitos ou parte deles?
João Mattei – Estamos presentes no mercado brasileiro há 40 anos e nos últimos cinco anos participamos de grandes realizações. Podemos citar três complexos corporativos Triple A: o Berrini One, entregue, também Green Building; o RM Square, em construção, com 46.000 m²; e o Santos Augusta, em construção, um projeto arquitetônico icônico localizado nas esquinas da Augusta com Alameda Santos. Na área de residenciais, o Geometria Itaim é um edifício de alto padrão e o Barra Viva, em construção na avenida Marques de São Vicente, tem aproximadamente 1500 unidades para o programa Minha Casa Minha Vida. Fizemos também o novo Centro de Oncologia do Hospital Santa Paula.

CNC – Somente em São Paulo?
João Mattei – No Rio de Janeiro fizemos os retrofits Laranjeiras Corporate 44, Uruguaiana Corporate 118, Standart Building – este com fachada tombada – e o Rio Branco 115.

CNC – E o que teve mais destaque?
João Mattei – Um dos principais investimentos do Grupo Bradesco Seguros nos últimos tempos: a construção de sua nova sede, em Alphaville, o “Bradesco Seguros Alpha Building”.

CNC – O que a obra trouxe para a BN?
João Mattei – Esta obra de enormes proporções facultou à BN Engenharia o emprego de toda sua capacitação técnica no projeto, propondo soluções construtivas diferenciadas e incorporando benefícios diretamente ao negócio do cliente. Nos destacamos não como um simples fornecedor, mas como parceiro estratégico que entende as necessidades do cliente e busca as soluções sob esta ótica.

CNC – E quais foram os principais desafios do empreendimento?
João Mattei – Atender a expectativa do projeto, sob a perspectiva do cliente, se importar genuinamente com os desafios inerentes ao seu “business”. Um ponto muito importante, e que tem transformado nossa atuação junto aos clientes, sem dúvida, é a aplicação de Técnicas de Engenharia de Valor, proporcionando outras visões do mesmo empreendimento, projetando alternativas técnicas que não afetem as características arquitetônicas e a performance do produto, e buscando melhorias em prazo, custos e outros indicadores. Para o efetivo sucesso da aplicação deste modelo, há a necessidade de possuirmos essas competências técnicas in house, controlando estes estudos e gerando confiança para o cliente.

CNC – A empresa está crescendo?

João Mattei – A empresa viveu e ainda vive crescimento singular. Para chegar a este desempenho aplicamos uma gestão baseada nas melhores práticas do mercado mundial, visando colher resultados de longo prazo.

CNC – Quais foram os instrumentos de gestão?
João Mattei – Fizemos um desenho de plano estratégico, determinando missão e reafirmando valores. Desdobramos os objetivos estratégicos em ações voltadas ao mercado, aos processos internos, à capacitação de pessoal e às novas tecnologias de gestão e produção. Redesenhamos os processos alinhados às diretrizes do PMI (Project Management Institute). Implantamos um sistema de gestão integrado das informações e processos, o SAP ECC 6.0, e também um sistema de business intelligence, garantindo a disponibilização de painéis de gestão “on-line” para os executivos. A Academia BN promove cursos internos de capacitação profissional. Criamos um programa de desenvolvimento de talentos, voltado a estudantes de engenharia, administração e arquitetura. E instituímos o Conselho de Gestão, cujo objetivo é acompanhar as decisões estratégicas da companhia, aconselhar e cuidar das questões relacionadas à transparência e aos valores organizacionais.

CNC – A BN está certificada?
João Mattei – Obtivemos o PBQP-H e a ISO 9001:2008, e somos membros do Green Building Council Brasil.

CNC – E as ações na prática?
João Mattei – A empresa tem trabalhado com “canteiros de obra sustentáveis” e um agressivo programa voltado à garantia da segurança dos trabalhadores, aplicados a mais de 1200 colaboradores nas obras, incluindo funcionários e parceiros.

CNC – Como você vê o mercado atual e como enxerga o futuro da empresa e das obras no país?
João Mattei – O mercado imobiliário, tanto aquele tradicional como aquele que necessita de estruturação mais complexa, ainda trabalha com certa moderação e cuidado, mas alguns movimentos já são sensíveis, pelo menos reconsiderando sua viabilidade. Entendemos que em 2016 atingimos o ponto mais baixo em termos de confiança. Portanto, o lado bom da mesma moeda é que pela frente seguirá a retomada dos investimentos e a recuperação da economia, embora numa velocidade ainda pequena, mas consistente. Um dos grandes problemas seguirá sendo o desemprego, criando riscos para a retomada mais acelerada da economia e criando um cenário de tensões que assustam investidores.

CNC – E os investidores?
João Mattei – Temos visto grandes investidores externos avaliando projetos e aquisições. Acreditamos que a atual crise traz também como consequência uma depuração do mercado, filtrando as empresas que mantiverem uma política de austeridade em suas operações, privilegiando a eficiência e a competência em suas equipes. Estamos preparados para ocupar espaços no mercado já integrados a tais realidades.

CNC – Qual o futuro das empresas?
João Mattei – O futuro do nosso segmento estará dirigido a empresas que acreditam e investem em “cutting edge tecnology”, trazendo inovações, ferramentas digitais e melhorias nos processos, buscando cada vez mais produtividade, qualidade e, principalmente, alinhamento com os objetivos do projeto e do cliente.

CNC – Você tem alguma proposta para melhoria do setor da construção?
João Mattei – O setor é um dos que mais emprega mão de obra direta no país. Portanto, é um grande indicador da evolução dos rumos para a economia. Sentimos muito a necessidade de uma modernização das Leis Trabalhistas, atualizando estes dispositivos para as realidades atuais do mercado, como as relações de terceirização, por exemplo.

CNC – E as relações entre as empresas?
João Mattei – Considero que ainda temos um grande espaço para crescimento na relação entre as empresas de Engenharia e Construção. Ainda estamos longe da realidade de outros países, que desenvolvem fóruns específicos de trabalho, com a participação ativa do setor na busca de melhorias para o mercado, reivindicando e marcando posições em camadas legislativas e governamentais, e olhando para o futuro. Já caminhamos nesse sentido, mas ainda há muito o que ser feito.

 

Clique aqui para ler o original